Sine vai apontar as profissões com mais vagas na Serra

Estudo vai revelar o perfil do trabalhador cadastrado no Sine, as áreas com mais vagas e aquelas que carecem de profissionais

Sine vai apontar as profissões com mais vagas na Serra


Texto: Samantha Dias

Projeto pioneiro no Estado, o Sine da Serra vai promover um estudo que vai identificar o perfil dos mais de 90 mil trabalhadores cadastrados no sistema e mapear as vagas oferecidas pelas empresas, com o objetivo de apontar as profissões que mais oferecem oportunidades e aquelas vagas que demoram a ser preenchidas por carência de pessoas com o perfil exigido. Todas essas informações vão nortear as políticas públicas no município, como, por exemplo, a oferta de cursos de qualificação.

O “Observatório do Emprego” é uma iniciativa da Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda (Seter) da Serra inédita no Espírito Santo , em parceria com o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Secretaria Estadual de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades), a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), e a Associação dos Empresários da Serra (Ases). A parceria com pesquisadores que já estudam o mercado de trabalho (do ponto de vista econômico, social, tecnológico e mais) e a expertise do IJSN na elaboração de estudos vão permitir, de acordo com o diretor do Sine da Serra, Marlon Amorim, a produção de conhecimento e disseminação de informações e análises sobre o mundo do trabalho na Serra, com objetivo de subsidiar setores públicos e privados.

“Temos uma base de dados com mais de 90 mil pessoas cadastradas, que foram em busca de emprego no Sine da Serra. Queremos conhecer o perfil dessas pessoas, qual sua escolaridade, profissão, se tem experiência ou se procuram o primeiro emprego. Por outro lado, temos que conhecer também a outra ponta, que são as empresas contratantes. Precisamos descobrir quais áreas oferecem mais vagas, qual o nível de escolaridade mais exigido, entre outras coisas”, disse Marlon.

Também serão analisados, por meio de parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Serra (Sedec) e com a Associação dos Empresários da Serra, os investimentos previstos para os próximos anos e as possibilidades de geração de empregos. “O município dispões de excelentes atrativos para quem quer investir e sempre há empresas que estão chegando ou ampliando suas atividades. Diante disso, temos que analisar ‘temos trabalhador com o perfil para aproveitar essas oportunidades?’. Vamos apontar quais são as áreas desses investimentos para capacitar nossa mão de obra”, disse o diretor do Sine.  

Ações

Com base nas informações analisadas pelos diversos atores envolvidos no projeto e geradas no relatório, a Prefeitura da Serra vai orientar suas políticas públicas para reduzir, cada vez mais, o abismo existente entre quem oferece vagas e quem busca uma oportunidade. A principal ação a ser desenvolvida diz respeito a oferta de cursos de qualificação.

“Por ano, a prefeitura oferece milhares de vagas em cursos de qualificação em diferentes áreas. Mas percebemos que alguns atraem mais os moradores, pois tem possibilidade de o aluno empreender e ganhar dinheiro de forma mais rápida. Outros, por sua vez, o aluno não consegue ser inserido no mercado de forma rápida, o que indica que não há muita contratação para aquela atividade. Esse estudo vai permitir que sejamos mais assertivos na contratação de cursos que oferecemos aos moradores”, disse Marlon Amorim.

Além disso, os anúncios previstos para a cidade também vão contribuir para a escolha das áreas de capacitação. “Se uma empresa da área de metalmecânica for se instalar ou ampliar as atividades na cidade, vamos oferecer curso de graça nessa área, em parceria com a empresa”, explicou.

Outra iniciativa da Prefeitura da Serra será ampliar a inclusão dos trabalhadores na Educação de Jovens e Adultos (EJA), oferecida pela Secretaria Municipal de Educação, se o estudo apontar que grande parte dos trabalhadores ainda não concluiu os estudos. O diretor explica que um dos principais fatores que impedem um trabalhador de ser contratado é a falta de escolaridade.

Boletim

Será assinado um termo de cooperação técnica entre a Prefeitura da Serra e os demais atores sociais envolvidos. A expectativa é que a assinatura aconteça ainda este ano. A partir daí, será disponibilizada a base de dados dos cadastrados no Sine para análise.

O diretor do Sine, Marlon Amorim, explica que a ideia é que seja divulgado um boletim informativo a cada três meses, com as informações analisadas. A cada boletim, será possível conhecer, por exemplo, detalhes do perfil do trabalhador e das vagas divulgadas. A previsão é que o primeiro boletim informativo seja divulgado no início do ano que vem.