Ambulantes e MEIs ganham mais crédito para investir no próprio negócio

O crédito que era limitado a R$ 15 mil agora passa a ser de até R$ 21 mil
Ambulantes e MEIs ganham mais crédito para investir no próprio negócio
TEXTO: Jéssica Romanha   FOTO: Everton Nunes/Secom-PMS

Se você é ambulante, microempreendedor individual (MEI) ou possui uma microempresa (ME), fique ligado, pois a oferta de crédito aumentou para quem quer investir no próprio negócio. A ação acompanha a nova resolução do Banco Central do Brasil (Bacen).

O secretário de Desenvolvimento Econômico da Serra, José Eduardo Azevedo, informou que o crédito que era limitado a R$ 15 mil agora passa a ser de até R$ 21 mil. “A oportunidade é voltada para os empreendedores que já iniciaram o seu negócio e tem por objetivo ajudá-los a realizar compra de mercadorias, móveis, matéria-prima, máquinas, equipamentos, e adquirir capital de giro”, disse o secretário.

José Eduardo explica que a ferramenta busca fomentar a inclusão econômica e social, gerando ocupação, emprego e renda para a população.

"A Serra tem se consagrado como o município capixaba que mais abre postos no mercado de trabalho, segundo revelou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. E o nosso objetivo, como gestão, é continuar proporcionando ferramentas para que a população empreenda, cresça e gere emprego”.

O secretário explica, ainda, que a disponibilidade de crédito no Centro Integrado de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Ciampe), por meio da parceria com o Bandes, é uma alternativa menos burocrática de acesso a recursos para os pequenos negócios.

“Mas, para participar do programa é preciso que o empreendedor tenha um avalista com renda comprovada, não tenha restrição financeira no CPF (empreendedor e avalista) e o faturamento anual do negócio seja de até R$ 360 mil”, salienta. 

A agente de crédito do Ciampe, Luciane Alves, afirma que o programa NossoCrédito oferece crédito de R$ 1.000 até R$ 21 mil e pode ser parcelado em até 48 meses. “Os interessados precisam procurar o Ciampe, no Pró Cidadão, que é o facilitador de crédito do Bandes, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.”

O diretor do Ciampe, Arlenn Muzzi, lembra, também, que os empreendedores podem procurar o Ciampe para se capacitar, conseguir dicas, assistir palestras e cursos gratuitos sobre empreendedorismo.

Fique ligado na documentação para conseguir crédito:

Pessoa física: Comprovante de residência, certidão de nascimento, casamento ou divórcio, RG, CPF e RG e CPF do cônjuge.

O avalista precisa apresentar: RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de renda, declaração de imposto de renda ou benefício, certidão de nascimento, casamento ou divórcio; RG e CPF do cônjuge, se for casado.

Pessoa jurídica: CNPJ; contrato social; enquadramento (ME); certidão negativa (estadual e federal); certificado de regularidade do FGTS; e extrato da conta bancária da empresa.

Saiba mais:

Quem pode pegar crédito: quem já iniciou o seu negócio há mais de seis meses, não tenha restrição financeira no CPF (empreendedor e avalista), e outros.
Informações: 3252-2981/9-8128-1859.
Ciampe: Pró-Cidadão: Av. Talma Rodrigues Ribeiro, 5416, Portal de Jacaraípe.

Crédito é opção planejada para alavancar negócio

Com responsabilidade e dedicação, o empreendedor e ambulante de Colina de Laranjeiras, Gleisson Teixeira, de 31 anos, conseguiu escrever uma nova história para a sua carreira. Após perder o emprego na área de metalmecânica, pesquisou diferentes nichos de mercado e investiu em um Food Truck de chopp artesanal e petisco.

O truck, chamado de BruderBeer, atende cerca de 150 pessoas por dia, de terça a domingo. E para continuar atendendo a clientela e manter o padrão de qualidade, o empreendedor garante que investe em cursos específicos sobre cerveja artesanal, além de cursos na área de gestão.

Mas, com a sazonalidade do mercado, Gleisson afirma que também foi necessário adquirir crédito junto ao Ciampe da Serra, para ter capital de giro e comprar novos equipamentos. “Como a gente trabalha na rua, tem períodos, como o de chuva, que as pessoas preferem locais fechados. Por isso, optamos pela linha de crédito para termos fluxo de caixa. Eu e meu sócio avaliamos bastante cada passo, planejamos tudo com responsabilidade. E está sendo a melhor opção”.