Torneio de futsal para promover diversidade sexual

O evento será realizado no sábado (27), de 13h às 17h, no Ginásio Praça Central de Feu Rosa

Torneio de futsal para promover diversidade sexual


Texto: Munik Vieira - Foto: SEDIR/PMS

Visando garantir os direitos fundamentais à vida e à dignidade humana, o direito à diversidade e políticas de combate à lesbofobia, o Fórum LGBTI da Serra, em parceria com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e com a Secretaria Municipal de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, promove o Projeto de Intervenção Esportiva: "Torneio de futsal em alusão ao dia da visibilidade lésbica".

Quatro grandes equipes de futsal feminino prometem dar um show de futebol e cidadania. O torneio, que acontece neste sábado (27), de 13h às 17h no Ginásio Praça Central de Feu Rosa, é gratuito e aberto ao público.

Então, leve a sua torcida para a arquibancada e se prepare para a diversão. Para Márcio Barros, secretário adjunto da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, esse é um momento único para o futebol serrano. “É necessário tratar o esporte como um instrumento de visibilidade e de promoção de integração para o fortalecimento das bandeiras de luta pautadas pela mulher lésbica. É uma forma que o município encontrou de interagir e estimular a participação delas”, disse.

Além do torneio de futsal, um varal com camisas brancas será pendurado na quadra, onde as próprias jogadoras poderão escrever frases ou atitudes preconceituosas que já sofreram, com o objetivo de minimizar os efeitos psicológicos negativos causados pela homofobia. Uma roda de conversa também será realizada, podendo contar com a participação da torcida.

Sobre a data

O Dia Nacional da Visibilidade Lésbica (29 de agosto) é uma data estabelecida no Brasil criada por ativistas lésbicas brasileiras e dedicada à data em que aconteceu o 1º Seminário Nacional de Lésbicas – Senale, ocorrido em 29 de agosto de 1996. Inclusive, o mês de agosto é chamado de “Mês da Visibilidade Lésbica”, pois também no dia 19 é nomeado o Dia Nacional do Orgulho Lésbico.

A data passou a adquirir cada vez mais importância no cenário de luta e resistência histórica, na medida em que a própria militância foi crescendo. Mas ainda há muito o que avançar. Mulheres lésbicas sofrem inúmeras violações diariamente. Ter um dia de visibilidade é reconhecer a existência e possibilidade de avançar na discussão das pautas lésbicas.

Violência

O Brasil é um dos países que mais matam LGBTI no mundo. Segundo o relatório 2018 divulgado pelo Grupo Gay da Bahia, entidade que há 39 anos registra dados de violência contra LGBTs no Brasil, no ano passado foram computadas 420 mortes no país. Os dados mostram que 76% das mortes foram homicídios e 24% foram suicídios.

Homofobia é crime

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em junho desse ano, pela criminalização da homofobia e transfobia no Brasil. Com a decisão, quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito em razão da orientação sexual da pessoa será considerado criminoso. A pena, que é igual à de racismo, pode chegar a cinco anos de prisão e multa. A aplicação da punição vai vigorar dessa forma até que o Congresso Nacional aprove uma lei específica sobre o tema.

Serviço
Torneio de futsal em alusão ao dia da visibilidade lésbica
Data: 27 de julho (sábado)
Horário: 13h às 17h
Local: Ginásio Praça Cultural de Feu Rosa – Rua Presidente Costa e Silva – Feu Rosa, Serra.
Evento: gratuito